Buscar
PORTAL
DA SAÚDE
PORTAL
24 HORAS
Iptu Issqn Refis
Refis Refis
Agência de Notícias

23/04/2018 07:47
O saldo positivo registrado entre janeiro e março deste ano é de 625 empregos formais; cidade é a quinta do Paraná no acumulado dos últimos 12 meses.



Comente!

Em apenas três meses de 2018, Foz do Iguaçu já acumula um saldo positivo de 625 empregos com carteira de trabalho assinada, considerando admissões e desligamentos. O resultado supera o desempenho obtido ao longo de todos os 12 meses de 2017 (453) e também de outros três anos anteriores (561, em 2016), (-845, em 2015), (e 433, em 2014). 

É o que apontam os números do mês de março divulgados pelo CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgados no último dia 20.

Segundo os dados divulgados, no primeiro trimestre deste ano, Foz do Iguaçu totalizou um saldo positivo de 625 novos empregos formais, com 7.298 admissões e 6.673 desligamentos.

Isso significa que o número de vagas acumuladas nos três primeiros meses deste ano já ultrapassa em 38% o saldo positivo de todo o ano passado, gerando uma expectativa positiva de retomada do desenvolvimento da economia local.

“A economia de Foz do Iguaçu passa por um momento de crescimento, com um ambiente mais seguro para se investir, e o reflexo disso tem sido o saldo positivo na geração de empregos. O saldo das contratações é o maior dos últimos quatro anos e a tendência é de crescer significativamente nos próximos meses. Estamos confiantes que este será o ano do desenvolvimento e da geração de
empregos”, afirma o prefeito Chico Brasileiro.

A marca alcançada pela cidade na criação de postos de trabalho ficou acima da média do mês de março no estado do Paraná. O saldo entre admissões e desligamentos no mês foi de 184 empregos, o que ajudou a cidade atingir o saldo positivo de 625 postos no primeiro trimestre, 272 a mais do que todo o ano passado (453).

Acumulado 12 meses
No acumulado dos últimos 12 meses, Foz do Iguaçu é a quinta cidade do Paraná que mais gerou saldo positivo. No período, o município obteve saldo de 1.133 postos de trabalho. Maringá foi a primeira com 1.492 vagas, seguida por Cascavel (1.370), Ponta Grossa (1.201) e Colombo (1.189).

Serviços
O setor de Serviços vem se destacando como o maior empregador do município. O saldo positivo entre contratações e demissões no primeiro trimestre foi de 580 empregos formais. A construção civil aparece em seguida com um saldo positivo de 142, em franca recuperação, já que havia fechado com perda de postos de trabalho no ano passado. 

Outros segmentos avaliados pelo Caged seguiram uma tendência estadual e apresentaram saldo negativo, o que impediu um maior avanço da média de contratações na cidade. O comércio amargou uma perda de 103 empregos no período. 

“Os resultados do primeiro trimestre de 2018 e do acumulado dos últimos 12 meses demonstram uma recuperação da economia, mas ainda estão abaixo da nossa expectativa e das metas estabelecidas na nossa agenda de desenvolvimento. Esperamos um ritmo de crescimento ainda mais acentuado daqui até o final do ano. Também precisamos agilizar a desburocratização dos alvarás, certidões, licenças, a gestão fiscal e outros serviços que impactam no desempenho e na competitividade das empresas”, afirma o secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos.
Comentário